ADUFPA exige prisão de mandantes e assassinos de Paulino Guajajara

A diretoria da ADUFPA repudiou o assassinato da liderança indígena Paulo Paulino Guajajara, ocorrido na última sexta-feira, 1º, no território Arariboia, no Maranhão. Em nota pública divulgada no último dia 2 de novembro, a direção da entidade exige a prisão imediata dos mandantes e assassinos de Paulino Guajajara e afirma que o latifúndio é o responsável pela emboscada que resultou na morte da liderança indígena.

Ainda no documento, a diretoria da ADUFPA repudia a conivência dos governos aos deixarem crimes como estes impunes e afirma que “o discurso de ódio do governo Bolsonaro estimula mais crimes e o avanço da mineração e do agronegócio em terras indígenas”. A nota encerra cobrando demarcação das terras indígenas e quilombolas e políticas públicas de apoio aos povos originários, além de punição imediata aos mandantes e assassinos de Paulo Paulino Guajajara.

Confira a nota:

 

PRISÃO AOS MANDANTES E ASSASSINOS DO POVO GUAJAJARA!

Na última sexta-feira, 1º de novembro, foi assassinada a liderança Paulo Paulino Guajajara, na terra indígena Araribóia, no Maranhão.

Paulino Guajajara era parte da guarda deste povo, nominada Guardiões da Floresta. A guarda foi criada exatamente para proteger a terra e a floresta contra garimpeiros, madeireiros, grileiros e demais latifundiários.

O latifúndio é o responsável pela emboscada que redundou na morte de Paulo Paulino Guajajara e ainda deixou ferido Laércio Guajajara.

No ano passado, outra liderança já havia sido assassinada: o cacique Jorginho Guajajara.

A ADUFPA, seção sindical do ANDES-SN, repudia mais esse assassinato, que se soma a tantos outros crimes cometidos contra os povos originários e outras comunidades tradicionais. Igualmente repudiamos a conivência das diversas esferas de governo, reproduzindo a impunidade.

O discurso de ódio do governo Bolsonaro estimula mais crimes e o avanço da mineração e do agronegócio sobre as terras indígenas.

 

Demarcação de terras indígenas e quilombolas já!

Políticas públicas de apoio aos povos originários!

Punição imediata aos mandantes e assassinos de Paulo Paulino Guajajara!

 

Belém, 02 de novembro de 2019.

Diretoria da ADUFPA