Ato Político-cultural mobiliza centenas de pessoas em defesa da UFPA

Artistas paraenses se reuniram ontem, 12, em um palco montado no Estacionamento do Vadião, para manifestar apoio à UFPA, diante dos cortes no Orçamento e as ameaças de privatização por meio do programa Future-se. Foram quase seis horas de apresentações musicais, misturando diversos ritmos e mensagens de luta e resistência aos ataques do governo federal à universidade pública.

O Ato Político-cultural em Defesa da UFPA, promovido pela ADUFPA, começou no final da tarde com apresentação do grupo Canto Caboclo e encerrou de forma explosiva e em alto astral com o show do Bando Mastodontes. Ao longo do evento, passaram também pelo palco DJ Jack Sainha, Nação Ogan, Alcyr Guimarães, Giancarlo Frabetti e Rebecca Braga, Casa de Folha, Eloi Iglesias, Slam Dandaras do Norte, Girard e Tommil Paixão, Arraial do Pavulagem e Ronaldo Silva, Pelé do Manifesto e Everton MC e Na Cuíra.

Antes das apresentações musicais, um cortejo cultural com o Boi Marronzinho tomou conta das vias e corredores da UFPA. O arrastão saiu do Ginásio de Esportes até o Estacionamento do Vadião, envolvendo a comunidade universitária e sendo um aquecimento para os shows.

Durante o Ato Político-Cultural, foi lançada a Campanha “Educação de todos: Juntos pela UFPA pública e gratuita”, que a diretoria da ADUFPA irá desenvolver nos próximos meses para mobilizar a sociedade paraense em defesa da instituição, cujo funcionamento está ameaçado por conta dos cortes orçamentários.

Realizada em parceria com a Faculdade de Comunicação (Facom), a Campanha contará com materiais gráficos e para as redes sociais, produções audiovisuais, eventos, mobilizações de rua e reuniões com autoridades e personalidades que se disponham a assumir a defesa da UFPA. “Estamos iniciando uma grande mobilização para valorizar a importância da UFPA, envolver a sociedade paraense e mostrar para o governo Bolsonaro que não iremos aceitar que nossa universidade seja privatizada e muito menos tenha seus serviços interrompidos por cortes de verbas”, destacou o diretor-geral da ADUFPA, Gilberto Marques.

A diretoria da ADUFPA também apresentou o vídeo “Defenda a UFPA”, para sensibilizar a população paraense a defender a instituição e mostrar as contribuições da Universidade para o desenvolvimento da Amazônia. Ainda como parte da Campanha, já estão disponíveis na sede administrativa da ADUFPA cartazes e adesivos, para livre distribuição. A ADUFPA também irá disponibilizar aos docentes associados camisas e adesivos de carro.

A resposta da comunidade universitária à campanha desenvolvida pela ADUFPA foi positiva e, durante as apresentações culturais, dezenas de pessoas gravaram vídeos em apoio à Universidade e tiraram fotografias com a hashtag da campanha, para serem viralizadas nas redes sociais.

A primeira ação externa da Campanha será no próximo dia 22 de setembro, às 9 horas, na Praça da República, quando a ADUFPA, em conjunto com Sindtifes e DCE, promoverá o Universidade vai à Praça, a fim de apresentar à sociedade paraense as produções desenvolvidas pela instituição de ensino, e destacar a importância de lutar para que a UFPA continue pública e gratuita.