Professores da UFPA irão paralisar atividades neste dia 30 de maio

Professores da UFPA irão paralisar as atividades docentes na próxima quinta-feira, 30, durante o Segundo Dia Nacional em Defesa da Educação, convocado por entidades estudantis e sindicatos que atuam na área educacional. A paralisação foi definida durante Assembleia Geral da ADUFPA na manhã de hoje, 28, no hall da reitoria.

Além de paralisarem as atividades, os docentes irão participar, em conjunto com outras categorias, de um Ato Público a partir das 16 horas, na Praça da República, no centro de Belém. A previsão é que os manifestantes saiam em caminhada em direção ao Mercado de São Brás, em protesto contra os cortes no Orçamento da educação pública feitos pelo governo Bolsonaro.

Para mobilizar a comunidade universitária a fim de fortalecer o Dia de Luta, a Assembleia aprovou um calendário de mobilização para este dia 29 de maio, que inclui panfletagem nos portões às 7h30, oficina de materiais às 11 horas na sede administrativa da ADUFPA, e mobilização no Mirante do Rio, no campus Básico, às 18 horas.

Orçamento – Durante a Assembleia, os professores analisaram os impactos dos ataques do governo Bolsonaro na educação pública. A pró-reitora de Planejamento, Raquel Borges, e o coordenador de Planejamento Orçamentário da UFPA, Thiago Rodrigues, participaram da Assembleia e apresentaram as implicações do bloqueio do Ministério da Educação (MEC) no Orçamento da UFPA.

Segundo dados da Proplan, mais de R$ 52 milhões do Orçamento da UFPA previstos pela Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2019 foram bloqueados pelo governo federal. O bloqueio representa uma retenção de quase 30% dos R$ 175 milhões que eram esperados, a partir da soma das verbas de custeio e de investimento. “O que é mais drástico é a falta de diálogo e a inconstância do governo federal com os bloqueios e contingenciamentos”, garantiu Thiago Rodrigues.

Se os bloqueios forem mantidos, de acordo com ele, a UFPA terá um déficit de cerca de R$ 50 milhões somente no Orçamento de custeio, gerando ainda mais dificuldades para a manutenção básica da Universidade a partir de setembro deste ano. “Os R$ 31 milhões que ainda nos restam para executar até o final de 2019, não cobrem sequer as despesas que temos com contratos de manutenção obrigatória, como limpeza, vigilância, energia elétrica, que ultrapassam R$ 39 milhões”, destacou o coordenador de planejamento orçamentário.

Antes do bloqueio efetuado pelo governo federal, o Orçamento de custeio da UFPA era de 169,8 milhões. Em 2015, esse montante era de 153,8 milhões, o que indica que as verbas para manutenção da universidade sequer acompanharam o índice inflacionário. No Orçamento destinado a investimento, o técnico da Proplan informou que, de 2015 a 2019, a redução nas verbas de Capital foi de cerca de 90%, diminuindo de 62,8 milhões para 5,6 milhões, o que impede o investimento da universidade em obras e tecnologias.

Confira o calendário de mobilização:

29/05

7h30 – Panfletagem no portão da Estação de ônibus da UFPA

11h – Oficina de materiais na sede da ADUFPA

18h – Panfletagem no Mirante do Rio, campus Básico.

 

30/05

Paralisação dos docentes e técnico-administrativos da UFPA

16h – Ato público unificado na Praça da República