Estudantes e trabalhadores da educação voltam às ruas para protestar neste dia 30 de maio

Milhares de pessoas sairão às ruas de todo o Brasil no próximo dia 30 de maio, na segunda mobilização nacional em defesa da educação pública. O protesto que defende a reversão imediata nos cortes do Orçamento da educação feitos pelo governo Bolsonaro, está sendo convocado por entidades estudantis e sindicatos que atuam na área da educação, entre eles o ANDES-SN.

Em Belém, o dia de luta será marcado por uma manifestação a partir das 16 horas, na Praça da República, de onde os manifestantes deverão sair em caminhada até o Mercado de São Brás. Os professores da UFPA irão debater a participação na mobilização durante Assembleia Geral da ADUFPA no dia 28 de maio, às 10 horas, no hall da reitoria da UFPA.

A orientação do ANDES-SN é que os professores avaliem a possibilidade de paralisação das atividades docentes e construam, nos Estados, atos unitários com estudantes e outras categorias para marcar o dia 30 de maio.

Segundo o diretor-geral da ADUFPA, Gilberto Marques, é o momento de intensificar a mobilização em defesa das universidades, cujo funcionamento está ameaçado por conta dos cortes orçamentários impostos pelo governo. “Temos que defender a Universidade pública, para que ela tenha uma produção científica qualificada e referenciada socialmente, mas que tenha também a cara das mulheres, dos homossexuais, dos negros e negras, dos indígenas e do povo”, destacou Gilberto.

Este será o Segundo Dia Nacional em Defesa da Educação. No último dia 15 de maio, milhares de pessoas protestaram em todas as capitais brasileiras e em mais de 200 municípios contra a política do governo Bolsonaro para a educação. Em Belém, uma manifestação grandiosa reuniu mais de 30 mil pessoas nas ruas e contou com a participação de uma forte delegação de professores, estudantes e técnico-administrativos da UFPA.