Protestos contra a Reforma da Previdência marcam Dia do Trabalhador

Protestos contra a Reforma da Previdência marcaram no Brasil o Dia Internacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras, neste 1º de maio. Em Belém, um ato público unificado pela manhã, no Mercado de São Brás reuniu dezenas de categorias, entre elas docentes da UFPA, que sob forte sol se manifestaram em defesa da aposentadoria e contra os ataques do governo Bolsonaro.

A ADUFPA participou da manifestação criticando a Reforma da Previdência e denunciando os cortes no orçamento das universidades federais e os ataques à Filosofia, à Sociologia e às Ciências Humanas pelo governo federal.

O ato unificado deste 1º de maio foi convocado pela CSP-Conlutas, em conjunto com as centrais sindicais CUT, CTB, CSB, CGTB, Força Sindical, Intersindical, NCST, UGT e as Frentes Povo sem Medo e Brasil Popular. Ao final da manifestação, as centrais sindicais convocaram uma Greve Geral no Brasil para o dia 14 de junho, contra a Reforma da Previdência.