Ato público em Belém vai lembrar os 55 anos do golpe militar

Para lembrar os 55 anos do golpe militar e protestar contra a determinação do presidente Jair Bolsonaro para que a data seja comemorada, movimentos sociais promovem no próximo dia 31 de março, a partir das 16 horas, na Casa das 11 Janelas, em Belém, o ato público “Ditadura Nunca Mais”. A manifestação está sendo organizada pelo Coletivo Comunicadores pela Democracia.

De acordo com a organização do ato público, o objetivo é resgatar a memória da luta por democracia no Brasil e lembrar o regime ditatorial marcado por perseguições, prisões, torturas, exílios e centenas de assassinatos políticos.

Nesse período, a UFPA foi palco da resistência e de dezenas de manifestações por democracia e contra a Ditadura Militar. Mas também, foi espaço de repressão. Em 10 de março de 1980, o estudante do curso de Matemática César Moraes Leite foi assassinado quando assistia aula de Estudos dos Problemas Brasileiros, no Pavilhão Fb. O tiro foi disparado pelo agente da Polícia Federal, Dalvo Castro Junior.

Segundo relatório da Comissão Nacional da Verdade (CNV), a Ditadura Militar, entre 1964 e 1985, deixou 434 pessoas mortas ou desaparecidas, além de centenas de brasileiros exilados. Nesse período, o Congresso Nacional foi fechado, mandatos foram cassados e os brasileiros não puderam eleger o Presidente da República, governadores e representantes parlamentares.