Coordenação Nacional da CSP-Conlutas prepara resistência contra ataques do governo Bolsonaro

De 22 a 24 de fevereiro a CSP-Conlutas realizará, em São Paulo, sua Coordenação Nacional, principal instância deliberativa da Central. Será a primeira realizada no ano de 2019 e servirá de impulsionadora para as ações de resistência contra o governo de Jair Bolsonaro (PSL). Organizar os trabalhadores para a mobilização será o objetivo, diante de um ano que já começa com notícias alarmantes e que atingem em cheio os mais pobres.

A proposta da Reforma da Previdência é uma dessas ameaças. Entre outras medidas, caso seja aprovada, prevê o regime de capitalização, o aumento da idade mínima entre homens e mulheres, e regras de transição que afetam a todos, os que já estão no mercado de trabalho e os que ainda vão ingressar.

A ganância dos patrões também marcou o início desse ano, com o crime em Brumadinho (MG), cometido pela Vale, que vitimou mais de 300 pessoas, e que já é considerado o maior acidente de trabalho da história, por especialistas.

O fim da Funai (Fundação Nacional do Índio) e o repasse da demarcação de terras para o Ministério da Agricultura, diretamente ligado aos ruralistas e ao agronegócio, responsáveis pelo genocídio da população indígena e destruição de suas aldeias.

O fim do Ministério do Trabalho, ataques ao meio-ambiente, pautas que atacam a Educação,  entre muitos outros absurdos que atingem diretamente trabalhadores da cidade e do campo, os que moram na periferia, as mulheres e a população negra no país, que está à margem de direitos.

Todos esses absurdos foram repudiados com atos e mobilizações e indicativos de lutas unitárias. Um dos exemplos é a Assembleia da Classe Trabalhadora, contra a Reforma da Previdência, que ocorre no dia 20 de fevereiro, e é organizada pelas Centrais.

Para reforçar todas essas mobilizações, diante dessa escalada de propostas que retiram direitos, esta coordenação será dedicada a esses assuntos, com uma pauta que irá abordar a situação política e nacional e servirá de balizador para fortalecer a luta dos trabalhadores.

 

Confira a programação:

22/02/2019 (sexta-feira):

  • 9h às 11h: Prestação de contas
  • 11h às 14h: Internacional
  • 15h30 às 18h30: Painel – Indígenas, Quilombolas, Imigrantes e Camponeses

23/02/2019 (sábado):

  • 9h às 16h: Conjuntura (Brumadinho, 8M e Luta Contra Reforma da Previdência)
  • 16h às 18h: Setoriais

24/02/2019 (domingo):

  • 9h às 13h: Apresentação dos relatórios das reuniões setoriais, votações das resoluções e moções.

Local: A reunião será realizada em São Paulo, no Novotel Jaraguá, na Rua Martins Fontes, 71 Centro – São Paulo (SP)

Fonte: CSP-Conlutas