ANDES-SN reafirma combate ao projeto Escola sem Partido

O 38º Congresso do ANDES-SN, que encerrou na madrugada de domingo, 3, em Belém, reafirmou o projeto do Sindicato Nacional para a educação pública. A defesa da educação pública, gratuita, de qualidade, socialmente referenciada e que combata todas as formas de opressão foi comum nas intervenções e deliberações nos grupos mistos e plenárias do evento.

Durante o Congresso, os delegados aprovaram fortalecer a Frente Nacional Escola Sem Mordaça, como forma de combater o projeto Escola Sem Partido. Uma cartilha sobre o tema será elaborada pelo ANDES-SN, que também incentivará a divulgação de materiais sobre como proceder diante das ameaças e ataques à liberdade de cátedra.

De acordo com a deliberação, o Sindicato Nacional deve promover ações multimídias para defender e valorizar o papel social dos professores frente à tentativa de destruição da identidade da categoria, promovida por campanhas difamatórias. A cartilha Projeto do Capital para a Educação será atualizada, incluindo temas como as políticas de inclusão para as pessoas com deficiência.

Os delegados também decidiram intensificar a construção do III Encontro Nacional de Educação (ENE), que ocorrerá de 12 a 14 de abril, em Brasília. Segundo a resolução, o ANDES-SN deve aumentar os esforços para agregar entidades e movimentos na construção do evento.

Saúde – O Congresso do ANDES-SN também aprovou propostas voltadas à saúde, seguridade social e assuntos de aposentadoria. Em conjunto com a Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde, será elaborado um dossiê sobre a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) e a defesa do SUS 100% estatal.

Os docentes decidiram, ainda, realizar uma Jornada de Mobilização dos Aposentados, no primeiro semestre deste ano, e o VII Seminário Nacional de Saúde do Trabalhador Docente, no segundo semestre.

 

Com informações do ANDES-SN