Belém sedia a partir da próxima segunda-feira o 38º Congresso do ANDES-SN

Mais de 600 professores universitários de todo o país participam em Belém a partir da próxima segunda-feira, 28, do 38º Congresso do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN). O evento segue até o dia 2 de fevereiro e está sendo organizado pela Associação de Docentes da UFPA (Adufpa). Com o tema “Por Democracia, Educação, Ciência, Tecnologia e Serviços Públicos: em defesa do trabalho e da carreira docente, pela revogação da EC/95”, o Congresso deve analisar a conjuntura e aprovar um plano de lutas dos docentes universitários em enfrentamento às medidas já anunciadas pelo governo Bolsonaro.

Entre as pautas a serem discutidas, os professores irão debater estratégias de resistência à nova Reforma da Previdência, ao pacote de ajustes e privatizações de estatais do governo federal, às mudanças na forma de escolha dos reitores que desrespeitam a autonomia universitária e aos ataques à educação pública em geral, como o projeto Escola sem Partido. A luta em defesa dos povos indígenas e quilombolas e contra a misoginia, o racismo e a LGBTfobia também será debatida na programação do Congresso.

A expectativa é que o 38º Congresso seja um dos maiores da história do Andes-SN, por conta da conjuntura de ameaças à educação pública e às liberdades democráticas, que é motivo de apreensão de grande parte da categoria docente. “O Congresso será um momento fundamental para deliberarmos as ações do próximo período que perpassa pela construção da mais ampla unidade em defesa das liberdades democráticas, das instituições públicas e pela revogação das contrarreformas, em especial da Emenda Constitucional 95”, pontua o presidente do Andes-SN, Antônio Gonçalves.

A indignação dos docentes diante da conjuntura de retrocessos tem motivos concretos. Desde a campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro escolheu os professores e as universidades públicas como principais alvos de ataques, pois segundo ele as instituições de ensino ‘estariam dominadas por ideologias comunistas’. A produção científica também tem sido bastante criticada pelo novo governo, que estimula a adoção do criacionismo nas escolas e na definição de políticas públicas.

Programação – As plenárias do 38º Congresso do Andes-SN irão ocorrer no Auditório do Centro de Convenções Benedito Nunes e os grupos mistos de discussão vão se reunir no prédio Mirante do Rio, no campus Básico. Apresentações culturais também estão previstas na programação, para que os professores das diversas regiões do país possam conhecer um pouco mais da cultura amazônica.

A realização do 38º Congresso do Andes-SN em Belém também vai marcar a abertura das comemorações pelos 40 anos da Adufpa, que se estenderão ao longo de 2019. Esta será a segunda vez que Belém sediará o maior fórum de deliberação dos docentes das Instituições de Ensino Superior do Brasil. Em 2010, a Adufpa organizou o 29º Congresso do ANDES-SN na UFPA, que reuniu mais de 300 professores de todo o Brasil.