Rede Sindical e CSP-Conlutas promovem atividades contra a cúpula do G20

A Rede Sindical Internacional de Solidariedade e Lutas, organização sindical que reúne diversas entidades ao redor do mundo à qual a CSP-Conlutas faz parte, está participando das mobilizações contra o encontro da cúpula do G20, que ocorrerá nos dias 30 e 1º de dezembro, em Buenos Aires, na Argentina. O chamado Contra Cumbre – Contra Encontro [do G20] – teve início na última segunda-feira (26), e contou com mais de 60 atividades e debates até esta sexta-feira (30), quando ocorre uma Grande Marcha contra o G20.

 

A CSP-Conlutas também contribuiu com os debates da programação do Contra Cumbre, apresentando a mesa que discutiu a eleição de Jair Bolsonaro no Brasil, além do momento de solidariedade ao ativista argentino preso, Daniel Ruiz. No Brasil, a Central está organizando uma mobilização em apoio às lutas contra a cúpúla do G-20 nesta sexta, em frente ao consulado argentino, na Avenida Paulista, em São Paulo, a partir das 17 horas.

 

A reunião do G20, grupo constituído por ministros da economia e presidentes de bancos centrais dos 19 países de economias mais desenvolvidas do mundo mais a União Europeia, com outros que são chamados de “emergentes”, tem o objetivo de elaborar e determinar políticas com novas formas de exploração. Em resumo, significa que, juntos, os países mais poderosos discutirão meios de sobreviverem em meio à crise econômica que domina o mundo inteiro e jogar as consequências dessa articulação nas costas do povo, com a retirada de mais direitos e ataques aos trabalhadores.

 

A CSP-Conlutas faz um chamado à mobilização, para mostrar que a classe trabalhadora não aceita as políticas promovidas e implementadas pelo G20 e trabalhará em conjunto, a partir do Brasil e de diferentes países e suas diversas realidades, para enfrentar as imposições das poderosas elites econômicas e militar.