ADUFPA - Professores e técnico-administrativos da UFPA irão paralisar atividades neste dia 24 de maio

Associação de Docentes da UFPA

Seção sindical do ANDES-SN

Olá visitante

Login ▼

Publicado em 22/05/2017

Professores e técnico-administrativos da UFPA irão paralisar atividades neste dia 24 de maio

Em protesto pela saída imediata de Michel Temer da Presidência da República, professores e técnico-administrativos da UFPA farão uma paralisação de 24 horas no próximo dia 24 de maio. Além da paralisação, as duas categorias deverão fortalecer o movimento de ocupação de Brasília, previsto também para o dia 24, quando centenas de caravanas de trabalhadores estarão na capital federal, para protestar contra as Reformas da Previdência e Trabalhista e pressionar pela renúncia do presidente.

 

Uma caravana com 3 ônibus com professores, técnico-administrativos e estudantes da UFPA sairá em direção à Brasília no final da tarde de hoje, 22, de trás do Bosque Rodrigues Alves. Ao todo, mais de dez ônibus deverão sair em caravana do Pará para se juntar aos manifestantes dos demais estados na capital federal. “Queremos pressionar pela renúncia de Michel Temer. Se mesmo assim ele não sair, defendemos a construção de uma greve de 48 horas para barrar as reformas e derrubar Temer”, destacou a diretora-geral da ADUFPA, Rosimê Meguins.

 

A ocupação de Brasília foi marcada para o dia 24 de maio, quando estava prevista inicialmente a votação, em primeiro turno, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, que institui a Reforma da Previdência. Com as denúncias feitas pelo empresário Joesley Batista, atingindo diretamente o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves, a agenda de votação das reformas foi paralisada, mas o protesto na capital federal ganhou força com a possibilidade real de derrubada do governo Temer.

 

Além da participação do ato em Brasília, os professores aprovaram ainda em assembleia a construção de atos locais no dia 24 de maio, para fortalecer em Belém a luta contra o governo Temer e aglutinar os docentes que não poderão viajar à Brasília.